Folha de BarbacenaMulher feita

Mulher de Destaque: Entrevista com a escritora Sarah Giane

O último lançamento da autora foi a triologia "Outro Mundo"

Mulher de Destaque: Aquela que se sobressai, que inspira e influencia as pessoas a serem melhores através de suas colocações, ações e empoderamento, sempre com toda a elegância e a beleza que ela carrega em seu ser. O Mulher Feita apresenta hoje a escritora Sarah Giane, autora da triologia “Outro Mundo” e também de “O Segredo do Jardim”.

Confira a entrevista completa com a nossa Mulher de Destaque da semana:

Primeiro de tudo, quem é Sara Giane?

Sarah: Eis a questão… Em termos práticos e objetivos sou uma mulher como todas as outras, cheia de sonhos, desejos e desafios diários. Sou mãe, esposa e uma escritora cheia de ideias loucas e românticas.

De acordo com o seu site, você sempre tira inspiração nas crianças da sua vida para criar seus personagens. Como esse processo de criação funciona?

Sarah: A criação de um livro é processo longo que começa com uma pequena ideia. Uma sementinha que cresce até se tornar uma frondosa árvore. Quando começo a escrever já tenho em mente o começo, o meio e o fim da história. A partir daí é como montar um quebra-cabeça. Cada personagem, cada acontecimento é uma peça que precisa estar em seu devido lugar para que tudo saia do jeitinho que eu planejei.

Além de escrever, você também fez as ilustrações que estão presentes “O Segredo do Jardim”, é graduada no Curso Normal Superior e Pós-graduada em Gestão de Recursos Humanos. Tem algum outro projeto que você pretende realizar?

Sarah: Sim, tenho vários projetos em mente, e a maioria deles envolve livros. Também procuro sempre fazer cursos para aprender novas técnicas de desenhos, como aquarela ou desenhos digitais. Futuramente eu pretendo investir um pouco mais nas artes visuais.

Você poderia falar um pouco sobre o que você mais gostou em cada um dos livros que você lançou até hoje?

Sarah: O “Segredo do jardim” será sempre o meu bebê, não só por ser um livro infanto-juvenil, mas por ter me ajudado numa época difícil da minha vida. Gosto da ambientação e dos personagens que remetem ao nosso folclore.

A trilogia “Outro Mundo” teve cada detalhe muito pensado e eu gosto da forma como a narrativa em primeira pessoa consegue surpreender. Apesar do que parece, a história não é contada de forma linear e o romance entre o casal protagonista guarda grandes surpresas.

Qual a maior dificuldade em lançar um livro?

Sarah: É um processo longo e trabalhoso, mas acho que o maior desafio não está na publicação em si, e sim em alcançar os leitores, em fazer com que o livro chegue até o público. Nessa questão, o apoio de veículos de comunicação como este é de fundamental importância, e é por isso que eu fico extremamente grata pelo espaço.

 

Como surgiu a ideia de trazer personagens inspirados no folclore brasileiro em “O Segredo do Jardim”?

Sarah: A ideia surgiu da minha crença no nosso potencial. Nossa cultura é muito rica e há elementos de sobra para serem explorados. O mundo imaginário não tem fronteiras, e assim como os mitos e lendas estrangeiros que servem de inspiração para grandes obras literárias, acredito que o nosso folclore pode ter o mesmo impacto.

“Outro Mundo” foi o seu último lançamento. Qual a principal mensagem que você quis passar através da obra?

Sarah: Esta trilogia é a representação de vários sonhos. Eu quis mostrar a força que nós, mulheres, temos, apesar de todas as dificuldades. Criei uma protagonista romântica e apaixonada, mas nunca limitada pelo amor. Ao contrário, acho que a principal mensagem é que o amor verdadeiro é aquele que nos faz transcender.

Na trilogia “Outro Mundo” um dos seus focos foi a questão do empoderamento feminino. Na sua opinião, o quanto se mostra necessário essa representatividade no crescimento e desenvolvimento das crianças, tanto meninas quanto meninos?

Sarah: Eu sou a favor da equidade de gêneros. Homens e mulheres são diferentes em inúmeras questões, e isso é indiscutível. No entanto, essas diferenças não nos tornam melhores ou piores e é aí que está o X da questão. A maneira como lidamos com isso é algo que está ligado a cada cultura, à maturidade do indivíduo, e é importante criarmos as crianças para que sejam adultos que saibam respeitar a diversidade e não se sentirem ameaçados por ela.

Em todo o livro que acompanhamos a jornada de Kayla, nós temos as mulheres ocupando os mesmos lugares de destaque e poder que os homens, tratando-os como iguais. Você acha que estamos próximos de tornar isso uma realidade?

Sarah: Pessoalmente, acho que isso ainda vai demorar um pouco. Por mais espaço que as mulheres já tenham conseguido ainda há muita gente que considera o gênero um fator determinante para o sucesso.

Podemos esperar lançamentos de novos livros? Se sim, você poderia nos falar um pouco sobre ele?

Sarah: Podem sim, claro. Escrever já é um vício pra mim. Tenho algumas histórias em mente, mas a próxima deve ser um Spin-off da trilogia Outro Mundo, contando o início desse universo étereo.

0

User Rating: 5 ( 3 votes)

Comentários:

Isabella Paolucci

Jornalista, fã de filmes e séries, k-poper e sagitariana.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios