Folha de Barbacena

Mais de 8 mil pessoas não voltaram para a terceira dose em Barbacena

Durante reunião na CDL, Secretária Adjunta de Saúde faz alerta sobre os riscos da baixa procura pela terceira dose da vacina contra a Covid-19

Na noite de ontem (26/10) ocorreu na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Barbacena, localizada no centro da cidade, uma reunião que, entre outras coisas, teve como propósito a discussão envolvendo as festas natalinas na cidade. O encontro contou com a participação de representantes da comunidade civil, da Polícia Militar e também de  funcionários da Prefeitura Municipal de Barbacena (PMB).

Durante o evento, a Secretária Adjunta de Saúde, Ana Rigotti, demonstrou preocupação com a baixa procura pela terceira dose da vacina contra a covid-19, frisando a necessidade da imunização para o retorno da normalidade na vida do barbacenense. “A gente está com uma defasagem de 8 mil pessoas que não procuraram pela terceira dose. Isso preocupa bastante, pois, os índices de ocupação de leitos hospitalares só começaram a cair quando nós atingimos a faixa etária de 47 anos para baixo”, relatou. 

De acordo com Ana, diferente da dose reforço, a primeira e a segunda dose teve uma procura muito grande na cidade, fazendo com que a população reivindicasse a disponibilização de mais doses e o avanço com a campanha de imunização, mostrando que existe uma ânsia em comum por parte das pessoas para que os problemas sanitários ocasionadas pela covid-19 sejam sanados. “Na saúde a gente está percebendo que há um dano colateral no psicológico das pessoas, no ânimo delas. Isso a gente já esperava que acontecesse. Mas precisamos que a vida, na medida do possível, volte ao normal, e a vacina para isso é imprescindível”, reiterou a secretária. 

Já o Secretário da Saúde, Arinos Brasil, que também esteve presente na reunião, abordou assuntos relacionados à gestão do prefeito Carlos Dú, se tratando da saúde no município. Para ele, a atual administração não herdou bons frutos dos governos anteriores. “É muito difícil. Não tinha dados para nós na secretaria, e já entramos em uma pandemia. Ela veio subindo, faltando medicamentos e leitos. Mas com o empenho do prefeito e de todos os colegas da prefeitura, nós conseguimos vencer. Aqui em Barbacena ninguém ficou com falta de oxigênio, sempre teve um leito pra salvar essas pessoas”, afirmou.

As perspectivas para a pasta da saúde, segundo Arinos, daqui pra frente serão promissoras. Após a visita do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, criou-se a expectativa de investimentos mais robustos na área, inclusive com aparelhos médicos que contribuirão para a evolução de alguns tratamentos na cidade. 

“Agora, nós recebemos pelo estado uma doação do terreno ali da Fhemig, um prédio descendo o ambulatório de especialidade médica, que vai ser UPA. Vamos destinar a UPA para atender pacientes de Barbacena, talvez de Alfredo Vasconcelos e Santa Bárbara do Tugúrio. O Hospital Regional vai continuar. E lá no hospital da Fhemig, o governo do Estado também  está cobrando uma Fundação, não um pronto socorro.  A cidade precisa ter uma responsabilidade. Por ter 140 mil habitantes, tem que ter um aporte”, frisou o secretário. 

Por fim, a secretária Ana Rigotti reforçou o pedido, principalmente aos comerciantes que estiveram presentes no encontro, sobre a imunização da Covid-19. “Se vocês puderem incentivar funcionários, familiares, amigos, vizinhos… enfim, a fazerem essa terceira etapa da imunização, a gente precisa disso para garantir que esses níveis de vacinação continuem muito estáveis”, concluiu.

0

User Rating: Be the first one !

Comentários:

Alisson dos Santos

Estudante de Comunicação Social-UFSJ, cruzeirense, entusiasta do cinema nacional e da cultura popular.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios