Cine Caverna

“Garota Inflamável” estreia nos cinemas no próximo mês

O filme é dirigido pela premiada curta-metragista alemã Elisa Mishto

Para sua estreia na direção de longas de ficção, com Garota Inflamável, a premiada curta-metragista alemã Elisa Mishto conta que partiu a protagonista peculiar para construir a narrativa. “Há partes autobiográficas aqui, como a sensação de estar bloqueada, não estar aproveitando todo o seu potencial. É um filme sobre duas mulheres com muito potencial. Mas as expectativas da sociedade e seus próprios medos as impedem de viver plenamente”, disse em entrevista ao EWA, site especializado no trabalho de mulheres no audiovisual europeu. O longa chega aos cinemas no dia 14 de julho com distribuição da Pandora Filmes.

Julie (Natalia Belitski), é uma jovem paralisada em sua vida. Não tem trabalho, não estuda, não ama ninguém, e nem tem responsabilidades – sua herança, que a sustenta, é administrada por outras pessoas.

Em busca de uma vida “normal”, ela é internada regularmente em uma clínica psiquiátrica de sua escolha, onde conhece a enfermeira Agnes (Luisa-Céline Gaffron, de “Seis minutos para meia-noite”), que é o oposto da protagonista, com sua vida regrada atendendo as expectativas da sociedade.

Quando a herança de Julie se esgota, ela descobre que precisará dar um jeito em sua vida. A partir disso e do encontro com Agnes, as existências dessas duas mulheres são transformadas.

Mishto conta que seu primeiro filme, um documentário, foi filmado durante um ano em um hospital psiquiátrico, onde ela presenciou pela primeira vez a condição de paralisia, quando uma pessoa não conseguia fazer absolutamente nada. “Foi aí que percebi que alguns pacientes não conseguem ser parte da sociedade, pois não compartilham de suas regras. Achei isso interessante, quase político. E também se você está à margem da sociedade, você pode a ver de uma forma diferente. Por isso quis situar a história numa instituição para pacientes com problemas mentais.”

A equipe artística do filme conta com, além de Mishto na direção e roteiro, Francesco Di Giacomo (“A Espera”), como diretor de fotografia; Sascha Ring e Philipp Thimm, na trilha sonora; e Sylvester Koziolek, como diretor de produção.

“Com esse filme, Mishto […] faz um filme que muda sua linha de pensamento e sua natureza ao longo de sua jornada, e que surpreende o público, colocando-o ao lado da heroína, que, a princípio parecia tão distante”, diz o site Cineuropa.

Sinopse

A perspicaz e mimada Julie é uma jovem com seu próprio manifesto: fazer nada. Não trabalha, não estuda, não tem amigos. Agnes é uma enfermeira casada e mãe de uma filha que se encaixa nas expectativas da sociedade sem pensar muito no tema…Até que ela conhece Julie. Juntas, elas começam uma rebelião que vai levá-las ao limite dos seus respectivos mundos.

0

User Rating: Be the first one !

Comentários:

Isabella Paolucci

Jornalista, fã de filmes e séries, k-poper e sagitariana.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios